segunda-feira, 18 de junho de 2012

avaliação de português


Avaliação Diagnóstica de Português  5º ano      08/03/2012
Aluno:_____________________________________________________
Professora: ________________________________________________
Turma:  ____________________________________________________                                                      número de acertos:_________
Assinatura dos pais, mães ou responsáveis:_______________________




Questão1- D0-Leia o texto abaixo. ( o aluno deverá ler para a professora)

CACHORROS
Os zoólogos acreditam que o cachorro se originou de uma espécie de lobo que vivia na Ásia. Depois os cães se juntaram aos seres humanos e se espalharam por quase todo o mundo.
Essa amizade começou há uns 12 mil anos, no tempo em que as pessoas
precisavam caçar para se alimentar. Os cachorros perceberam que, se não
atacassem os humanos, podiam ficar perto deles e comer a comida que sobrava.
Já os homens descobriram que os cachorros podiam ajudar a caçar, a cuidar de rebanhos e a tomar conta da casa, além de serem ótimos companheiros. Um colaborava com o outro e a parceria deu certo.

Questão 2- D1- O assunto tratado nesse texto é a:

A) relação entre homens e cães.
B) profissão de zoólogo.
C) amizade entre os animais.
D) alimentação dos cães.
Questão 3- D2- Leia o texto abaixo e responda às questões.
Caipora
É um Mito do Brasil que os índios já conheciam desde a época do descobrimento.
Índios e Jesuítas o chamavam de Caiçara, o protetor da caça e das matas.
Seus pés voltados para trás servem para despistar os caçadores, deixando-os sempre a seguir rastros falsos. Quem o vê, perde totalmente o rumo, e não sabe mais achar o caminho de volta. É impossível capturá-lo. Para atrair suas vítimas, ele, às vezes, chama as pessoas com gritos que imitam a voz humana. É também chamado de Pai ou Mãe-do-Mato, Curupira e Caapora. Para os Índios Guaranis, ele é o Demônio da Floresta. Às vezes é visto montando um porco do mato.


 De acordo com esse texto, os pés voltados para trás da Caipora servem para:
A) atrair suas vítimas.
B) despistar caçadores.
C) montar um porco do mato.
D) proteger as matas.
Questão 4- D3-Leia o texto abaixo e responda às questões.






                                             O Feitiço do sapo

Todo lugar sempre tem um doido. Piririca da Serra tem Zóio. Ele é um sujeito
cheio de ideias, fica horas falando e anda pra cima e pra baixo, numa bicicleta pra
lá de doida, que só falta voar. O povo da cidade conta mais de mil casos de Zóio,
e acha que tudo acontece, coitado, por causa da sua sincera mania de fazer “boas
ações”. Outro dia, Zóio estava passando em frente à casa de Carmela, quando
a ouviu cantar uma bela e triste canção. Zóio parou e pensou: que pena, uma
moça tão bonita, de voz tão doce, ficar assim triste e sem apetite de tanto esperar
um príncipe encantado. Isto não era justo. Achou que poderia ajudar Carmela a
realizar seu sonho e tinha certeza de que justamente ele era a pessoa certa para
isso. Zóio se pôs a imaginar como iria achar um príncipe para Carmela. Pensou
muito para encontrar uma solução e finalmente teve uma grande ideia de jerico:
foi até a beira do rio, pegou um sapo verde e colocou-o numa caixa bem na porta
da casa dela.
FURNARI, Eva. O feitiço do sapo. São Paulo: Editora Ática, 2006, p. 4 e 5. Fragmento.

 A intenção de Zóio ao colocar um sapo na porta da casa de Carmela foi:

A) ajudá-la a encontrar um príncipe encantado.
B) ajudá-la a cantar com voz mais doce ainda.
C) encontrar alguém para cuidar do sapo que vivia no rio.
D) fazer uma surpresa, dando-lhe um sapo de presente.
Questão 5- D5- Leia o texto abaixo e responda às questões.

                                O menor jornal
A jornalista Dolores Nunes é a responsável pelo menor
jornal do mundo. No dia 23, o micro jornal Vossa Senhoria,
da cidade de Divinópolis (MG), recebeu o certificado do
livro dos recordes, atestando que o seu jornal, com apenas
3,5 centímetros de altura e 2,5 centímetros de largura é o
menor jornal do mundo. O jornal tem 16 páginas mensais,
tiragem de 5 mil exemplares e aborda diversos assuntos da
atualidade.

 O que significa atestando?

A) Afirmando por escrito.
B) Dando uma notícia.
C) Fazendo um teste.
D) Lendo com atenção.
Questão 6- D6-Leia o texto abaixo.





FRANGO COM QUIABO
Ingredientes:
500g de frango cortado
Suco coado de 3 limões
3 dentes de alho amassados
Sal e pimenta a gosto
500g de quiabo
1 cebola grande cortada em cubos
3 tomates sem sementes, cortados em cubos
Salsinha a gosto.
Modo de preparo
Tempere o frango com a metade do suco de limão, os dentes de alho, sal e pimenta
e deixe nesse tempero por uma hora.
Lave bem os quiabos, corte as pontas, coloque-os em um recipiente e regue com a
outra metade do suco de limão.
Em uma panela, aqueça o azeite e doure os pedaços de frango. Acrescente a
cebola e os tomates e refogue em fogo baixo, mexendo sempre. Junte os quiabos
escorridos. Deixe cozinhar até que os quiabos estejam macios. Adicione a salsinha.
Sirva assim que retirar do fogo.

 Este texto é:

A) uma receita culinária.
B) a história de um frango.
C) uma instrução de jogo.
D) uma bula de remédio.
Questão7- D7- Leia o texto abaixo e responda à questão.

05/05/2006
                          MARCELA,
vou levar as crianças para um passeio no Museu. Voltaremos no final da tarde, não se preocupe em preparar lanche para nós.
                         Um abraço,
                                               Mamãe.

 Esse texto serve para:

A) dar uma notícia.
B) deixar um recado.
C) fazer um convite.
D) vender um produto.
Questão8- D8- Observe o texto abaixo.
 
                   http://3.bp.blogspot.com/_KafaFtnFe88/TFLhktzIBkI/AAAAAAAAekU/q9nfhQwqie4/s1600/aquecimento+global.bmp
O que a Magali ensina para o Cebolinha é:
A)Ser guloso.
B)Cuidar do meio ambiente.
C)Destruir a natureza.
D)Poluir o ambiente.
Questão 9- D10- Leia o texto abaixo.


http://3.bp.blogspot.com/-y_UzhKX-0t8/TaG39C6bDWI/AAAAAAAAgVc/jE6bJDTwcNg/s1600/dona+aranha.png
O texto que você leu foi escrito para

A) mulheres.
B) crianças.
C) viajantes.
D) desenhistas.
Questão10- D11- Leia e responda:
O homem que entrou pelo cano

            Abriu a torneira e entrou pelo cano. A princípio incomodava-o a estreiteza do tubo. Depois se acostumou. E, com a água, foi seguindo. Andou quilômetros. Aqui e ali ouvia barulhos familiares. Vez ou outra um desvio, era uma seção que terminava em torneira.
            Vários dias foi rodando, até que tudo se tornou monótono. O cano por dentro não era interessante. No primeiro desvio, entrou. Vozes de mulher. Uma criança brincava. Ficou na torneira, à espera que abrissem. Então percebeu que as engrenagens giravam e caiu numa pia. À sua volta era um branco imenso, uma água límpida. E a cara da menina aparecia redonda e grande, a olhá-lo interessada. Ela gritou: “Mamãe, tem um homem dentro da pia” Não obteve resposta. Esperou, tudo quieto. A menina se cansou, abriu o tampão e ele desceu pelo esgoto. tampão e ele desceu pelo esgoto.
BRANDÃO, Ignácio de Loyola. Cadeiras Proibidas. São Paulo: Global, 1988. p. 89.
O homem desviou-se de sua trajetória porque:

(A) ouviu muitos barulhos familiares.
(B) já estava “viajando” há vários dias.
(C) ficou desinteressado pela “viagem”.
(D) percebeu que havia uma torneira.

Questão11- D12- Leia o texto:
  
                                      O terremoto.
Depois do terremoto, apenas uma casa ficou de pé.
_Por que você ficou de pé,sua casa doida, não sabe que houve um terremoto? _ advertiu a bruxa.
_Um terremoto?! _ repetiu a bruxa com as janelas esbugalhadas.
E foi logo tratando de desabar também com medo da bruxa.
DÍDIMO, Horácio. As historinhas do mestre jabuti. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2003, p. 23.

 A casa que estava em pé desabou:

A) por causa de um terremoto.
B) porque teve medo da bruxa.
C) porque era uma casa doida.
D) por causa das janelas abertas.
Questão12- D13-Leia o texto abaixo:

É normal ter dependência do cigarro? A senhora sabe que sou fumante há quase dois anos, como conversamos na última consulta. Há cerca de três semanas, tenho começado a sentir tremores quando estou tenso e estressado e não tenho como sair do trabalho para fumar. Os tremores passam logo que fumo um cigarro. É normal?
 (Rodrigo, 38 anos)http://saude.terra.com.br/interna
Nesse texto, os interlocutores são os seguintes:
A) professora e aluno.
B) médica e paciente.
C) esposa e marido.
D) patroa e empregado.
E) mãe e filho.

Questão13-D15- Leia o texto abaixo.

A BONECA
Deixando a bola e a peteca
Com que inda há pouco brincavam,
Por causa de uma boneca,
Duas meninas brigavam.
Dizia a primeira: “É minha!”
“É minha!” a outra gritava;
E nenhuma se continha,
Nem a boneca largava.
Quem mais sofria (coitada!)
Era a boneca. Já tinha
Toda a roupa estraçalhada,
E amarrotada a carinha.
Tanto puxaram por ela,
Que a pobre rasgou-se ao meio,
Perdendo a estopa amarela
Que lhe formava o recheio.
E, ao fim de tanta fadiga,
Voltando à bola e à peteca,
Ambas, por causa da briga,
Ficaram sem a boneca...
Olavo Bilac, Poesias infantis. Rio de Janeiro: Ed. Francisco Alves, 1949, p. 31-32.
 No trecho “Que a pobre rasgou-se ao meio”, a expressão sublinhada refere-se a:
A) estopa.
B) peteca.
C) roupa.
D) boneca.

Questão14- D19- Leia o texto abaixo e responda às questões.

O HOMEM DO OLHO TORTO
No sertão nordestino, vivia um velho chamado Alexandre. Meio caçador,
meio vaqueiro, era cheio de conversas – falava cuspindo, espumando como
um sapo-cururu. O que mais chamava a atenção era o seu olho torto, que
ganhou quando foi caçar a égua pampa, a pedido do pai. Alexandre rodou
o sertão, mas não achou a tal égua. Pegou no sono no meio do mato e,
quando acordou, montou num animal que pensou ser a égua. Era uma
onça. No corre-corre, machucou-se com galhos de árvores e fi cou sem um
olho. Alexandre até que tentou colocar seu olho de volta no buraco, mas fez
errado. Ficou com um olho torto.
RAMOS, Graciliano. História de Alexandre. Editora Record. In Revista Educação, ano 11, n. 124, p. 14.

 O que deu origem aos fatos narrados nesse texto?

A) O fato de Alexandre falar muito.
B) O hábito de Alexandre de falar cuspindo.
C) A caçada de Alexandre à égua pampa.
D) A caçada de Alexandre a uma onça.
Questão15- D21- Leia o texto abaixo e responda à questão.

Conheça o robô que tem como local de trabalho
a maior floresta tropical do mundo!
Ele tem uma tarefa muito importante: cuidar da floresta amazônica. Esse guardião é capaz de andar na água, na lama, na terra e na vegetação – e sem fazer barulho, para não incomodar nem os animais nem os moradores do lugar. Ele também é forte, agüenta até mordida de jacaré! E consegue obter dados importantes sobre a Amazônia, além de coletar amostras do local. Ele é o robô ambiental híbrido Chico Mendes.

Leia novamente a frase abaixo.
Ele tem uma tarefa muito importante: cuidar da floresta amazônica.
Nessa frase, o uso dos dois pontos (:) serve para

A) anunciar uma explicação.
B) demonstrar surpresa.
C) indicar que alguém vai falar.
D) marcar uma pergunta.
Questão16- D23- Leia o texto abaixo.

http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRDYNfaSvUHuq1gc9wmyLig9MVC5A_tj97w7H9AgrTy0dFH-1KRyw
Essa tirinha é engraçada porque
A) Cascão não percebeu que o chão da casa estava limpo.
B) a mãe do Cascão não viu que ele entrava em casa.
C) as mãos do Cascão estavam tão sujas quanto seus pés.
D) as pessoas podem andar apoiadas em suas mãos.


































Detalhamento da Matriz de Referência para
Avaliação - 5º ano do E.F.
MATRIZ DE REFERÊNCIA - SIMAVE/ PROEB
LÍNGUA PORTUGUESA - 4a SÉRIE / 5o ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
TópicoS E SEUS DESCRITORES
I – PROCEDIMENTOS DE LEITURA
D0 Compreender frases ou partes que compõem um texto.
D1 Identificar um tema ou o sentido global de um texto.
D2 Localizar informações explícitas em um texto.
D3 Inferir informações implícitas em um texto.
D5 Inferir o sentido de palavra ou expressão.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato.
II – IMPLICAÇÕES DO SUPORTE, DO GÊNERO E/OU DO ENUNCIADOR NA COMPREENSÃO DO TEXTO
D6 Identificar o gênero de um texto.
D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros.
D8 Interpretar texto que conjuga linguagem verbal e não-verbal.
III – COERÊNCIA E COESÃO NO PROCESSAMENTO DO TEXTO
D11 Reconhecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.
D12 Estabelecer a relação causa/conseqüência entre partes e elementos do texto.
D15 Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para sua continuidade
D19 Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que compõem a narrativa.
IV – RELAÇÕES ENTRE RECURSOS EXPRESSIVOS E EFEITOS DE SENTIDO
D23 Identificar efeitos de ironia ou humor em textos.
D21 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de pontuação e de outras notações.
V – VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA
D13 Identificar marcas lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.

Um comentário: